domingo, janeiro 02, 2005

Fogo, lenha, memória



Ah, os chavões... Ouvi há dias na televisão, não sei bem em que programa (seria a letra de uma canção em inglês?) que há coisas que temos tendência a fitar. Uma era a corrente de um riacho. Outra era uma fogueira a arder. Pois é.

Sobro, azinho, oliveira, pinho. Flora que demorou a engrossar, que resistiu a tempestades, acabada, enfim, em combustão poluidora mas reconfortante. Entre tições, ficam saudades de histórias de quem já partiu.

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...