Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2005

As ondas

As ondas quebravam uma a uma
Eu estava só com a areia e com a espuma
Do mar que cantava só para mim.


(Sophia de Mello Breyner Andresen)

Registo

O IRA anunciou ontem a renúncia à luta armada.

Será que é desta? Oxalá.

Andorinha-das-chaminés

Imagem

Oh! como se me alonga, de ano em ano

Oh! como se me alonga, de ano em ano,
a peregrinação cansada minha!
Como se encurta, e como ao fim caminha
este meu breve e vão discurso humano!

Vai-se gastando a idade e cresce o dano;
perde-se-me um remédio, que inda tinha;
se por experiência se adivinha,
qualquer grande esperança é grande engano.

Corro após este bem que não se alcança;
no meio do caminho me falece,
mil vezes caio, e perco a confiança.

Quando ele foge, eu tardo; e, na tardança,
se os olhos ergo a ver se inda parece,
da vista se me perde e da esperança.

(Luís de Camões)

No melhor dos mundos...

«À República de Genebra

(...) Meus caros concidadãos, ou, antes, meus irmãos, uma vez que os laços do sangue, do mesmo modo que as leis, nos unem a quase todos (...). Para vós, a felicidade está realizada, nada mais é preciso do que aproveitá-la, e não tendes necessidade, para vos tornardes perfeitamente felizes, senão saberdes contentar-vos com sê-lo. A vossa soberania, adquirida ou reconquistada na ponta das espadas e conservada durante dois séculos à força de valor e de sabedoria, é enfim plenamente e universalmente reconhecida. Tratados honrosos fixam as vossas fronteiras, asseguram-vos os direitos e tornam firme o vosso repouso. A vossa constituição é excelente, ditada pela razão mais sublime e garantida por potências amigas e respeitáveis; o vosso Estado é tranquilo, não tendes nem guerras nem conquistadores a temer; não tendes outros mestres que leis sábias que vós próprios fizestes, administradas por magistrados íntegros por vós também escolhidos; não sois demasiado ricos para …
Imagem
(Joseph Mallord William Turner)

Agradecimento

Ao blog Posto de Escuta pelo destaque dado à entrada "Londres 7/7": obrigada!

As causas do crime

Existem outras causas para o crime que não a necessidade ou os distúrbios psíquicos, ou a conjunção das duas? A segunda causa não será igualmente distribuída entre todos, e eventualmente menos tratada nos mais pobres? O que é que se conclui daqui?

Insustentável esperança

Imagem

Leitura/escrita

- Aprende-se a escrever, lendo?
- Não. Aprende-se a reconhecer que não se escreve bem.

Alice

- Que sensação estranha! - disse Alice. - Devo estar a fechar-me como se fosse um telescópio.

E, na verdade, assim era: não tinha agora mais do que vinte e cinco centímetros de altura, e o rosto iluminou-se-lhe ao pensar que estava do tamanho adequado para transpor a pequena porta e encaminhar-se para aquele jardim encantador. No entanto, em primeiro lugar, esperou um pouco para ver se iria encolher ainda mais. Este pensamento deixou-a um tanto nervosa, «pois posso acabar por desaparecer completamente, como se fosse uma vela», pensou Alice, «e como ficaria eu depois?». E tentou imaginar o que acontece à chama de uma vela quando esta se apaga, pois não se lembrava de alguma vez ter reparado nisso.


(Lewis Carroll, "Alice no país das maravilhas")

Aguardente de Abrunho

A atmosfera clara do zimbro
escureceu e ficou hibernal.
Ela deu aguardente a beber
aos abrunhos, e selou o frasco.

Quando o desarrolhei
cheirei a quietude acre
e perturbada de um arbusto
insinuando-se na copa.

Quando a deitei no copo
tinha um travo cortante
e resplandecia
como a Betelgeuse.

Faço-te um brinde
com abrunhos lustruosos,
roxos, mosqueados, ácidos
e fiáveis.


(Seamus Heaney, traduzido por Rui Carvalho Homem)

Procurar ser melhor

Aceitar a expressão "pretos" como se fosse neutra ou não resistir a sorrir quando se fala de um tique homossexual não será também ser um pouco cúmplice dos campos de extermínio nazis?

Livros

«Já na montra da livraria detectaste a capa com o título que procuravas. Seguindo esta pista visual introduziste-te na loja através do cerrado obstáculo dos Livros Que Não Leste que te olhavam carrancudos das bancas e das estantes procurando intimidar-te. Mas tu sabes que não te deves deixar sugestionar, que no meio deles se estendem por hectares e hectares os Livros Que Podes Deixar De Ler, os Livros Feitos Para Usos Diferentes Da Leitura, os Livros Já Lidos Sem Sequer Ser Preciso Abri-los Enquanto Pertencentes À Categoria Do Já Lido Ainda Antes De Ser Escrito. E assim transpões a primeira muralha dos baluartes e cai-te em cima a infantaria dos Livros Que Se Tu Tivesses Mais Vidas Para Viver Certamente Também Os Lerias De Bom Grado Mas Infelizmente Os Dias Que Tens Para Viver São Aqueles Que São. Movendo-te com rapidez ultrapássa-los e diriges-te para o meio das falanges dos Livros Que Tens Intenção De Ler Mas Antes Devias Ler Outros, Livros Demasiado Caros Que Podes Esperar Poder Co…

À vista desarmada

Imagem
(Astronomy Picture of the Day)

A Lua, Vénus, Mercúrio. O céu e a terra.

Dá a surpresa de ser

Dá a surpresa de ser.
É alta, de um louro escuro.
Faz bem só pensar em ver
Seu corpo meio maduro.

Seus seios altos parecem
(Se ela estivesse deitada)
Dois montinhos que amanhecem
Sem ter que haver madrugada.

E a mão do seu braço branco
Assenta em palmo espalhado
Sobre a saliência do flanco
Do seu relevo tapado.

Apetece como um barco.
Tem qualquer coisa de gomo.
Meu Deus, quando é que eu embarco?
Ó fome, quando é que eu como?

(Fernando Pessoa)

Entrada incaracterística sobre o gato de Cheshire

Imagem

Perguntas do dia

1. O insucesso na matemática. Por que é que os professores do ensino básico e secundário não são obrigados a assistir a aulas dos colegas - para ter contacto com diferentes formas de ensinar - e a ver as suas aulas assistidas - para se sentir, não perseguido, mas definitivamente observado, e para uma maior reflexão sobre a sua forma de ensinar?

Por que é que o sistema de ensino português não é avaliado por especialistas independentes estrangeiros?

(Por que é que quem fala de formação de professores não se informa sobre as tentativas que se fazem de adoptar métodos estrangeiros com provas dadas? Por que é que quem critica as "novas" metodologias de ensino não aprofunda o seu conhecimento sobre todos os estudos em que se baseiam?)

2. Atentados no Médio Oriente. Por que é que o Estado Israelita insiste em tratar a Autoridade Palestiniana e terroristas como os da Jihad Islâmica ao mesmo nível?

Pedido de ajuda

Ao usar o Hello para enviar imagens para o Blogger, depois de seleccionar o ficheiro, em vez de me aparecer a habitual janela onde é possível escrever a legenda da imagem aparece-me a página de entrada no Blogger. Não percebo porquê. Alguém pode ajudar, por favor?

Trova do vento que passa

Pergunto ao vento que passa
notícias do meu país
e o vento cala a desgraça
o vento nada me diz.

Pergunto aos rios que levam
tanto sonho à flor das águas
e os rios não me sossegam
levam sonhos deixam mágoas.

Levam sonhos deixam mágoas
ai rios do meu país
minha pátria à flor das águas
para onde vais? Ninguém diz.

Se o verde trevo desfolhas
pede notícias e diz
ao trevo de quatro folhas
que morro por meu país.

Pergunto à gente que passa
por que vai de olhos no chão.
Silêncio - é tudo o que tem
quem vive na servidão.

Vi florir os verdes ramos
direitos e ao céu voltados.
E a quem gosta de ter amos
vi sempre os ombros curvados.

E o vento não me diz nada
ninguém diz nada de novo.
Vi minha pátria pregada
nos braços em cruz do povo.

Vi minha pátria na margem
dos rios que vão pró mar
como quem ama a viagem
mas tem sempre de ficar.

Vi navios a partir
(minha pátria à flor das águas)
vi minha pátria florir
(verdes folhas verdes mágoas).

Há quem te queira ignorada
e fale pátria em teu nome.
Eu vi-te crucificada
nos braços negros da fome.

Coruja

Imagem

A minha concepção do mundo

«Gostaria de lhes dizer que temos, graças aos nossos conhecimentos actuais, poderes jamais alcançados pelo homem. Podemos utilizar esses poderes para o bem ou para o mal. Serão bem utilizados se nos compenetrarmos de que a humanidade é toda ela uma família, e de que podemos ser todos felizes ou infelizes. Já lá vai o tempo em que uma pequena minoria podia viver feliz à custa da miséria das grandes massas. Já ninguém se sujeita a uma situação dessas, e temos de aprender a aceitar a ideia de que o nosso vizinho também tem direito a ser feliz, se nós próprios queremos ser felizes. Estou convencido de que, se todos forem educados inteligentemente, serão mais expansivos e não terão dificuldade em considerar a felicidade alheia como condição essencial para a felicidade própria. Às vezes tenho visões de um mundo de seres humanos felizes, cheios de vivacidade, inteligentes, onde não há opressores nem oprimidos. Um mundo de seres compenetrados de que os seus interesses comuns excedem os intere…

Londres 7/7

"Resilience". A capacidade dos ingleses e, neste caso particular, dos londrinos, de resistir ao infortúnio.

Solidariedade. A minha escolha inequívoca de um modo de vida e de uma forma de organização social.

Dúvida. Será que alguém, com os mesmos dados, poderia, ainda assim, escolher uma alternativa à laicidade do estado e à democracia?

Mocho-galego

Imagem
(Ege University)


(BirdForum)


Quando a última árvore tiver sido derrubada
Quando o último rio tiver sido envenenado
Quando o último peixe tiver sido pescado
Compreenderás
Que o dinheiro não se pode comer


(Profecia dos índios Cree)

Corvo

Imagem
(World Wild Web)


(BirdForum)



The raven


Once upon a midnight dreary, while I pondered weak and weary,
Over many a quaint and curious volume of forgotten lore,
While I nodded, nearly napping, suddenly there came a tapping,
As of some one gently rapping, rapping at my chamber door.
`'Tis some visitor,' I muttered, `tapping at my chamber door -
Only this, and nothing more.'

Ah, distinctly I remember it was in the bleak December,
And each separate dying ember wrought its ghost upon the floor.
Eagerly I wished the morrow; - vainly I had sought to borrow
From my books surcease of sorrow - sorrow for the lost Lenore -
For the rare and radiant maiden whom the angels named Lenore -
Nameless here for evermore.

And the silken sad uncertain rustling of each purple curtain
Thrilled me - filled me with fantastic terrors never felt before;
So that now, to still the beating of my heart, I stood repeating
`'Tis some visitor entreating entrance at my chamber door -
Some late visitor entreating entrance at …

Do falar e escrever difícil

"Sempre detestei qualquer modo de falar e escrever difícil, isto é, fora do natural. Tentar a originalidade, por esse processo, é cair na trivialidade vestida de ouropéis. Quem não é original não deve querer sê-lo à fina força, que é pior a emenda que o soneto. A originalidade é atributo do artista, que não do artifício. Mas, no tocante a linguagem, pensa a maior parte da gente que não é assim. Que a melhor maneira de não ser vulgar é servir-se, falando e escrevendo, não de termos próprios, mas invulgares. Daí o repúdio da boa palavra de ontem em benefício da má palavra de hoje, caso não possa imolar-se a má palavra de hoje a uma palavra péssima, que ainda esteja no choco. A maior parte das pessoas, nossas contemporâneas, seriam felizes se pudessem antecipar-se a netos e bisnetos, substituindo o termo fácil, que hoje define uma coisa, pelo palavrão difícil que a definirá no princípio do século XXI."

(João de Araújo Correia, "A Língua Portuguesa")

Melro

Imagem

Cuco

Imagem

Cotovia

Imagem
(Mike Danzenbaker's Nature Photography)


(BirdForum)



O lugar da casa

Uma casa que fosse um areal
deserto; que nem casa fosse;
só um lugar
onde o lume foi aceso, e à sua roda
se sentou a alegria; e aqueceu
as mãos; e partiu porque tinha
um destino; coisa simples
e pouca, mas destino:
crescer como árvore, resistir
ao vento, ao rigor da invernia,
e certa manhã sentir os passos
de abril
ou, quem sabe?, a floração
dos ramos, que pareciam
secos, e de novo estremecem
com o repentino canto da cotovia.

(Eugénio de Andrade, "O Sal da Língua")