quarta-feira, maio 24, 2017

Transsexuais fora do armário?

Se para uma parte da comunidade homossexual é muito importante o sair do armário, e conhecemos cada vez mais pessoas no meio artístico que se assumiram enquanto tal, o mesmo não se passa com os transsexuais. Só um ou outro aparecem em reportagens, e nenhuma figura pública é conhecida. (E, no entanto, há casos curiosos, em que parecem não ter feito ainda as cirurgias todas.)

Mulheres em visita ao Papa sem véu preto nem branco



terça-feira, maio 23, 2017

O que é uma mulher?


Lê-se num jornal que podem ser precisas quarenta cirurgias para mudar de sexo. Entre estas, há "cirurgias de feminização facial — a fazer desgaste ósseo da testa, avanço do couro cabeludo, levantamento das sobrancelhas, aumento das maçãs do rosto, suavização da maçã de Adão, rinoplastia. Ninguém pode mudar a largura dos ombros ou o tamanho das mãos. E há que eliminar pêlos e modelar a voz."

sábado, maio 20, 2017

Benção dos finalistas

Todos os anos, um espetáculo grotesco ocorre em Lisboa (e, presumo, em todas as cidades universitárias portuguesas): a benção dos finalistas. Uma autoridade da igreja católica benze uma multidão de "finalistas" (podem acabar o curso num futuro ano letivo; que diferença faz?) em capas pretas e famílias embevecidas e a benzer-se.

Ou seja, dois elementos que nada têm que ver com a universidade e o conhecimento, a igreja e o universo das tunas e das praxes, ocupam o espaço público, assim se legitimando. (Galileu Galilei há-de dar voltas no túmulo com a apropriação da igreja.)

Por que é que as universidades portuguesas não têm cerimónias de formatura, como as que se veem nos filmes americanos? Com reitores, entrega de diplomas e, já agora, sem falsas tradições? Ministro Manuel Heitor? Reitores? Alguém?

1536: instrução pública obrigatória


A 21 de maio de 1536 Genebra adotou, por voto do seu Conselho geral, a obrigação de os pais de enviarem os filhos à escola.

Trans: estado da arte

1) LGBTQIAPK: Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender, Queer, Intersexual, Asexual, Pansexual and Polygamous, and Kinkiness

2) Os transgénero querem poder mudar de sexo sem ter de consultar um psicólogo. O movimento LGBTetc quer que a disforia de género deixe de ser considerada doença mental. Não entendo: se alguém achar que é um elefante (ou qualquer outra coisa que não é), isso não é uma doença?

3) "UCLA's Williams Institute estimates that there are 1.4 million Americans who are transgender, translating to 0.6% of the overall population. In this study, 80% of participants were transgender women (those who had been assigned the male sex at birth but identify as female). The participants reported becoming aware they were transgender at a mean age of five years old." (Time)

4) "Médicos ajudam eutanásia de transexual após mudança de sexo fracassada", 2 outubro de 2013 (BBC)

Retalhos da Vida de Um Médico

Letra: José Carlos Ary dos Santos
Interpretação: Carlos do Carmo


Serras, veredas, atalhos,
Fragas e estradas de vento,
Onde se encontram retalhos
De vidas em sofrimento

Retalhos fundos nos rostos,
Mãos duras e retalhadas
Pelo suor do desgosto,
Que talha as caras fechadas

O caminho que seguiste,
Entre gente pobre e rude,
Muitas vezes tu abriste
Uma rosa de saúde

[refrão]
Cada história é um retalho
Cortado no coração
Dum homem que no trabalho
Reparte a vida e o pão
As vidas que defendeste,
E o pão que repartiste,
São água que tu bebeste
Dos olhos dum povo triste

E depois de tanto mundo,
Retalhado de verdade,
Também tu chegaste ao fundo
Da doença da cidade

Da que não vem na sebenta,
Daquela que não se ensina,
Da pobreza que afugenta
Os barões da medicina

Tu sabes quanto fizeste,
A miséria não segura,
Nem mesmo quando lhe deste
A receita da ternura

[refrão]
Cada história é um retalho
Cortado no coração
Dum homem que no trabalho
Reparte a vida e o pão
As vidas que defendeste,
E o pão que repartiste,
São a esperança que aprendeste
Dos olhos dum povo triste

[refrão]
Cada história é um retalho
Cortado no coração
Dum homem que no trabalho
Reparte a vida e o pão
As vidas que defendeste,
E o pão que repartiste,
São a esperança que aprendeste
Nos olhos dum povo triste