sexta-feira, julho 07, 2006

Uma viagem providencial (XI)

Enfim, uma acalmia!

"Na noite de 24, com satisfação geral, o vento enfraqueceu e o céu clareou. Comemos a nossa magra ração com maior prazer. A noite foi bela, também, mas, como continuávamos ensopados de água do mar, o frio não deixou de atormentar-nos. Apesar disso, tive a felicidade de verificar que a manhã ensoalhada fazia renascer nalguns o entusiasmo e o bom humor. Pela primeira vez em quinze dias apreciámos as delícias do calor do sol. Despimo-nos e pendurámos a roupa interior e os fatos a secar, umas e outros tão puídos, tão usados, que não ofereciam qualquer protecção contra o frio e a humidade. De tarde, grande número de pássaros que, como as andorinhas-do-mar, jamais se aventuram longe de terra, veio esvoaçar à volta da chalupa."


Sir John Barrow, "Revolta na Bounty", tradução de Fernanda Pinto Rodrigues, Publicações Europa-América, 1972

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...