quarta-feira, junho 07, 2006

Canção

     A voz da minha canção
é de uma dor que a alma toca,
que os agudos leva a boca,
os graves o coração.

     As palavras são as dores
que andam no pensamento,
padecendo o sofrimento
que as torna ainda maiores.
De tal som marcadas vão
que a sua voz a alma toca,
que os agudos leva a boca,
os graves, o coração.


(Pinar, Espanha, séc. XV, tradução de José Bento)

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...