terça-feira, dezembro 07, 2004

Soares, 80


(Fotografia de Augusto Brázio no Diário de Notícias)

A vitalidade de Mário Soares é impressionante, sendo talvez fruto de um optimismo ou de uma iluminação que chega a poucos. É bem digna de celebração, já que é a de um "pai fundador" da democracia portuguesa.

Durante muitos anos, houve em casa uma cassete áudio com um discurso de um certo primeiro de Maio. Ecoava a palavra "trabalhadores", dita num tom empolgado no meio de promessas a cumprir. A gravação (e talvez também as promessas) perderam-se algures no tempo, ao tentar as minhas primeiras e inconscientes experiências de gravação no antigo rádio...

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...