domingo, dezembro 05, 2004

O gosto pela leitura


(Raida Mustafayeva)


A OCDE alerta: os estudantes que lêem menos são mais vulneráveis ao insucesso escolar.

As crianças e jovens portugueses não estão habituados a ler e têm dificuldade em compreender o que está escrito, apontam os relatórios das provas de aferição (feitas pelos estudantes dos 4º, 6º e 9º anos) e também os estudos internacionais.

A "culpa" pode ser atribuída à família, mas os professores podem também não estar totalmente isentos de responsabilidades - dizem alguns especialistas na área que têm promovido iniciativas para contrariar as estatísticas e tornar os alunos melhores leitores.

[Notícia completa.]


O que cria o gosto pela leitura? É um gosto que pode ser imposto? Estimulado? Como? Basta o acesso a uma biblioteca? Valem mais os livros da Anita (defendidos no Ma-Schamba e também por mim, que li antes de todos o "Anita aprende a ler" e fiquei logo a saber que a leitura traz, pelo menos, liberdade e poder) ou livros cuidadosamente seleccionados por professores?

Um dos exercícios mentais que, em tempos, gostava de fazer era planear uma biblioteca escolar. Se calhar é o gosto pela leitura levada ao extremo de o querer partilhar...

Como fazê-lo? Há algumas coisas que continuarão a ser verdade para as crianças do futuro, mesmo que as distracções venham a ser mais sofisticadas e variadas. As crianças serão sempre curiosas, gostarão sempre de histórias, de animais, da natureza e de coisas coloridas, movimentadas e divertidas, e de aventuras. Isto tem que ser aproveitado para cativar as crianças para os livros. Não me parece que sejam os livros com ilustrações feitas por computador, com papel brilhante, com cores berrantes, como os que agora se vêem, os que melhor transmitem a magia dos livros... Pode ser que esteja enganada.

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...