domingo, abril 30, 2006

Sopa de pedra

Feijão encarnado, ½ l
Orelha e cabeça de porco, 1 kg
Entrecosto de porco, 200 g
Carne de vaca para cozer, 250 g
Toucinho entremeado, 100 g
Chouriço, 1
Morcela, 1
Conve lombarda pequena, 1
Batatas, 400 g
Cenouras, 2
Cebolas, 2
Alhos, 2
Louro, 1 folha
Água e sal, q.b.
Farinheira, hortelã e coentros (facultativo), q.b.


De véspera raspam-se e limpam-se bem a orelha e a cabeça de porco, salgam-se juntamente com o entrecosto e põe-se o feijão de molho. No dia seguinte lavam-se as carnes e os enchidos e põem-se a cozer em água e sal. Separadamente, põe-se também o feijão a cozer em água e sal. À medida que forem cozendo, vai-se retirando as carnes sucessivamente, para não se espapaçarem, visto que a carne de porco, por exemplo, coze muito mais depressa do que a de vaca, o mesmo acontecendo com a morcela em relação ao chouriço. Logo que se retirarem todas as carnes, juntam-se, cortadas em pedaços, a couve, as cenouras, as cebolas, os alhos picados, o louro e, algum tempo depois, as batatas também em pedaços. Entretanto, escorre-se o feijão, do qual se retiram duas conchas, que se passam pelo passe-vite. Quando os legumes estiverem cozidos, juntam-se-lhes os feijões inteiros e os passados. Deixa-se ferver tudo para apurar e rectifica-se de sal. Cortam-se as carnes de porco e de vaca em bocados, os enchidos em rodelas e o toucinho em fatias. Deitam-se as carnes na panela e, logo que levantar fervura, adicionam-se os enchidos e o toucinho, servindo-se imediatamente. Empregando farinheira, deve pôr-se a cozer juntamente com as carnes, tendo em conta que o seu tempo de cozedura é muito rápido. Temperando com coentros, devem deitar-se ao mesmo tempo que os legumes. Se for o caso de se empregar hortelã, basta juntar um ramo ao mesmo tempo que os enchidos. Por gracinha, põe-se em cada prato uma pedra redonda, tipo seixo rolado do dio, mas previamente bem lacada.

(O livro de Pantagruel)


Há quem encontre nesta sopa Deus, colesterol, efeitos afrodisíacos, you name it. Uma coisa é certa: o segredo está na pedra.

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...