segunda-feira, abril 03, 2006

O mistério do auto-plágio

É engraçado como situações com algumas semelhanças evoluem de forma tão diferente. Há algum tempo, um caso de plágio deu origem a uma dispensa de colaboração, opróbrio público e explicação esfarrapada. Agora, um caso de auto-plágio merece mil reacções mas, que eu tivesse reparado, nenhuma tentativa de explicação razoável. Quero dizer, acham mesmo que alguém vai a um livro que já publicou copiar uns parágrafos? Eu, não! Parecer-me-ia mais verosímil que a autora tivesse uma colecção de fragmentos preparados que ia utilizando conforme a necessidade. Só que, sendo esse o caso, sem registar que já os tinha usado. A prazo, com o avolumar da "obra", accidents (did) happen. E pronto, já dei mais uma contribuiçãozinha para o peditório de marketing.

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...