quinta-feira, fevereiro 10, 2005

Liberdade e igualdade

Aprecio a clareza com que neoliberais como o autor d'O Observador defendem os seus pontos de vista. No entanto, gostaria de ter alguma base de consenso para, a partir daí, ser possível o diálogo. Mas não sei qual possa ser. Porque me parece que ele não concorda com este texto:

"Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade."

(Declaração Universal dos Direitos Humanos, Art. 1.º).


Nem com este:

1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.

2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

(Constituição da República Portuguesa, Art. 13.º - Princípio da igualdade).


Tenho quase a impressão de que, em nome do princípio da liberdade, AAA venderia a própria mãe...

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...