sábado, dezembro 10, 2005

Detrás de uma pedra da parede do abrigo, um papel esquecido

A Mó

O prior prega
A ave voa
O rico ri
A mó, que moa.

O prior prega
o seu sermão
às velhas surdas
mas concentradas
que querem dele
a eternidade.

A ave voa
em liberdade
asas ao vento
vida sem tempo
nem ao Domingo
é Espírito Santo.

O rico ri
engalanado
pois conseguiu
um grande feito
é criminoso
sem ser condenado.

A mó, que moa.

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...