terça-feira, agosto 22, 2006

«Um estudo revelou...»

Os "estudos", geralmente "americanos", devem ser uma mina para jornalistas incapazes de produzir notícias próprias. Pena é que, por vezes, não saibam descodificar os conteúdos desses "estudos".

Por exemplo, no Portugal Diário, encontra-se uma notícia entitulada "Está deprimido? Case-se", com o subtítulo "Estudo mostra que casamento pode beneficiar pessoas com depressão". Depois de ler o texto, fiquei a achar que o "estudo" foi feito sobre lugares comuns, sem controlo de variáveis, com conclusões sem nexo, e que a lucrativa indústria dos casamentos o devia ter patrocinado.

Só duvidei porque uma coisa tão má não chega a ser notícia divulgada internacionalmente (diz a minha veia optimista...). Pesquisando então na rede, encontrei uma outra notícia sobre o mesmo assunto, num registo completamente diferente, em que percebi finalmente em que consistia o "estudo".

Não sei se é pelo número de intermediários e pelas sucessivas interpretações (traduções, simplificações) que aparecem notícias tão pouco informativas, mas que alguma coisa está mal, está.

Nota: A partir dessa notícia do Portugal Diário, há ligações para outras, relevantíssimas, da secção Internacional:
Montanha desenvolve seios
Burro detido por causar acidente de trânsito
Atirou-se de um avião para comemorar 90 anos
Meteu bebé na máquina de secar
Fartinho de ter filhos


Nota 2: A detecção da depressão em doze perguntas, sem mais, e tomando-a como um traço permanente dos indivíduos "deprimidos", também diz da seriedade do "estudo":
They measured depression using 12 questions in the survey which asked respondents the number of days in the last week that they “felt like they could not shake off the blues,” “slept restlessly,” or “felt lonely.”

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...