terça-feira, maio 09, 2017

Como ler mais livros

Elle Kaplan

Já o disse muitas vezes: ler livros é um ingrediente essencial do sucesso. Os multi-milionários e bem-sucedidos como Bill Gates e Elon Musk dedicam uma quantidade excepcional do seu tempo à leitura. Musk atribui mesmo o seu conhecimento de como construir foguetes ao seu repertório de leitura, e estudos demonstraram que ler pode reduzir o stress, aumentar a concentração e melhorar a memória de longo e de curto prazo.

Os benefícios de trabalhar os seus músculos da leitura são claros. Mas ler consome tempo e para um profissional ocupado é quase impossível, quer encontrar tempo para ler, quer manter-se suficientemente concentrado para colher os frutos quando os prazos começam a acumular-se.

Felizmente, especialistas da Harvard Business Review (entre alguns outros) descobriram alguns conselhos para assegurar não só que torna a leitura um hábito diário, como que é capaz de aumentar radicalmente a quantidade que lê e os frutos que colhe.

Leia sete formas práticas de melhorar os seus hábitos de leitura à medida que o tempo passa:


1. Convença-se de que não faz mal desistir


Por vezes começo um livro, apenas para descobrir que não estou realmente a apreciá-lo ou a encontrar muito sentido nele - mas "faço o esforço" de qualquer modo, porque não quero ser um desistente.

Gretchen Rubin, autor do livro best-seller "The Happiness Project" e especialista em hábitos da Harvard Business Review descobriu que esta mentalidade segundo a qual os "vencedores não desistem" provavelmente não resulta para o seu hábito de leitura.

Como Rubin refere, desistir cedo dá-lhe "Mais tempo para ler bons livros! Menos tempo a ler livros por um sentido de dever". Pense nisto desta forma - são publicados cerca de 50.000 livros todos os anos. Por quê gastar tempo com livros de que não gosta?

Se realmente não gosta de um romance, liberte-se da culpa e desista dele.


2. Há minutos escondidos por todo o lado


Stephen King, que atribui à leitura muito do seu incrível sucesso como autor, terá dito a pessoas para ler cerca de cinco horas por dia se quiserem seguir as suas pisadas.

Como empresário muito ocupado, comecei por rir desta ideia. Isto até que a HBR chamou a atenção para o quanto King lê em trânsito, ou fora de casa. Considerem todas as vezes em que ele foi visto a ler nos jogos de Red Sox, por exemplo.

Para o passeante médio, pode parecer loucura puxar de um livro em Fenway Park. Mas se soubessem que esse mesmo hábito ajudou King a vender mais de 350 milhões de livros, poderiam sentir-se inclinados a trazer um livro de bolso da próxima vez.

Como Parisha diz, "Há minutos escondidos em todos os cantos do dia, e eles somam um total de muitos minutos." Não estou a dizer que deve puxar de um romance na cerimónia de casamento da sua irmã, mas há pequenas oportunidades para ler quase em todo o lado.


3. Fique calado

A ciência mostra que partilhar as suas intenções com outros quando está a trabalhar para uma tarefa ou objetivo pode ricochetear, e torná-lo menos capaz de ser bem sucedido.

Um estudo de 2009 descobriu que quando estudantes que queriam tornar-se psicólogos escreviam atividades que os ajudavam a conseguir esse objetivo e o partilhavam com o investigador, tornava-se menos provável que se envolvessem nessas atividades. O grupo de controlo que não partilhou a sua lista de atividade pretendidas com o investigador passou muito mais tempo a desenvolver essas atividades.

Quando as pessoas partilham o seu objetivo, sentem menos motivação para trabalhar afincadamente. Por isso, se está determinado a ler mais livros, exprima o seu objetivo e os seus passos para lá chegar - escreva-os mesmo - mas mantenha-os para si.


4. Limite as distrações


Neil Pasricha fez isto acontecer na sua casa pondo a televisão na cave e a estante em lugar de destaque. De acordo com a HBR, Pasricha inspirou-se na famosa experiência do psicólogo Roy Baumeister "do bolo de pepitas de chocolate e do rabanete".

Foi pedido a cobaias humanas esfomeadas para completarem um puzzle complicado e a algumas não foi dada comida, enquanto a outras foram dados bolos (e foi-lhes dito para não os comerem). Sem surpresa, o grupo dos bolos desistiu mais cedo - era o grupo que tinha gasto toda a sua força de vontade a manter-se afastado dos bolos.


5. Leia livros físicos


O mesmo conselho sobre a limitação das distrações pode ser aplicado em grande parte ao favorecimento de livros físicos em detrimento de leitores digitais. Ter um pedaço tangível de material de leitura na sua mão - em vez de um dispositivo ligado à internet onde pode também verificar o seu email ou ver receitas no Pinterest - pode limitar a distração e poupar na necessária força de vontade.

Mas limitar as distrações é apenas uma das razões para favorecer os livros físicos relativamente a romances eletrónicos. Numa era em que todo o nosso entretenimento e canais profissionais se estão a mover para o ecrã, segurar um livro na mão é um bom tónico mental.


6. Mude de atitude

O estratega dos média e autor Ryan Holiday enfatiza que mudar a forma como pensa sobre a leitura é a chave para ler mais. "Precisa de parar de pensar nela como 'uma atividade que faz'... tem de tornar-se tão natural para si como comer e respirar. Não é uma coisa que faça porque lhe apetece, mas porque é um reflexo, um padrão", refere.

Para os bem-sucedidos, um sonho não é alcançado deliberando sobre como alcançá-lo, mas é antes um desejo específico, bem concebido, que acontece sempre. Pode fazer isto hoje tornando os seus hábitos de leitura em objetivos específicos no tempo, e colocando-os no topo da sua lista de prioridades todos os dias.


7. Procure listas organizadas

A fadiga associada à decisão é uma coisa bem real, e pode consumir a sua força de vontade ao tentar adotar novos hábitos como o hábito da leitura.

O esforço hercúleo de passar por milhares de novos livros a cada ano pode consumir o seu poder mental antes que efetivamente leia uma página - e é por essa razão que a HBR recomenda que encontre listas de livros organizadas.

Felizmente, mega-magnatas como Bill Gates e Mark Zuckerberg não são tímidos a partilhar as suas listas de leitura. Com alguns minutos de pesquisa no Google, pode seguir os hábitos de leitura dos grandes.

Talvez não consigamos todos ler 500 páginas por dia como Warren Buffett, ou terminar 50 livros por ano como Bill Gates. Mas pode comprometer-se a usar estes conselhos para ler mais livros este ano, aumentar a sua disponibilidade para absorver informação, e beneficiar das vantagens científicas que a leitura pode trazer.

(Fonte: Quartz)

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...