sábado, abril 22, 2017

Listas

O conjunto de todas as listas de livros recomendados do Plano Nacional de Leitura de 2016 tem 846 páginas. No entanto, não se encontra lá nem a Bíblia, nem o Corão, nem "O Capital". Já Isabel Alçada aparece em 48 entradas, enquanto José Saramago tem direito a 13 entradas. Pobres alunos pobres, que assim vão continuar.

De facto, este plano tem um conjunto de problemas: aqueles autocolantes redondos estragam os livros (sic!); livros que consideramos clássicos não foram incluídos nestas listas; autores menores, contemporâneos nacionais foram incluídos de uma forma aparentemente arbitrária (ou pior?); e a inclusão de Isabel Alçada, ex-coordenadora do plano (de cujos livros, aliás, fui grande leitora quando era pequena).

É de saudar a intenção de aumentar a literacia científica e o contacto com as artes pelos jovens e, indiretamente, da população portuguesa. Vamos ver o que vai ser feito.

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...