sexta-feira, maio 27, 2005

À reguada*

A memória de um professor da escola primário mais severo pode atravessar gerações numa família... Pergunto-me muitas vezes o que pensaria essa personagem que trago comigo ao ver a proliferação da palavra inexistente na língua portuguesa "á"...

* Nota: Claro que esta pastora não defende as reguadas! (E acha que deve haver explicações psicanalítica para a sua defesa...)

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...