sábado, abril 16, 2005

Pessimismo

Em comparação com a pirâmide de idades dos países do Conselho da Europa, Portugal tem mais idosos e menos jovens. Ou seja, tem um problema de segurança social maior do que os outros para resolver.

Em tempos em que não ter emprego estável determina não só não ter o segundo filho, mas não juntar trapinhos, é natural que a taxa de natalidade continue a diminuir.

Por outro lado, a segurança social do estado muda as regras a meio do jogo. Para começar, não sabemos se, caso um dia destes um trabalhador tenha uma gripe ou uma intoxicação alimentar e tenha que ficar em casa durante uma semana, não vai receber ainda menos de baixa. Como se não bastasse a doença, ainda tem que sofrer a desconfiança do estado em si e na competência do seu médico de família.

Com a reforma, é a mesma coisa. Qual será a idade da reforma daqui a 10, 20, 30, 40, 50 anos? Qual será o valor da reforma? Será calculada com base em que critérios? Nada se sabe, apenas que tudo será pior do que agora.

Do outro lado, o privado, talvez seja mais difícil fugir ao contratado, mas entre as letras miudinhas costuma haver sempre maneira de conseguir garantir o lucro. Há a possibilidade de falências... Há as infindáveis histórias dos abusos das seguradoras...

Sem comentários:

Malditas praxes

Mais um ano letivo, mais uma temporada de praxes. Com trinta graus, andam com capas de lã e de collants aos berros durante horas e horas, a ...